Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pessoas precisam de pessoas: um comparativo na história de Jonas e Elias

Pessoas precisam de pessoas: um comparativo na história de Jonas e Elias
Jonas 4.1-11
1Reis 19.1-21

Existe um grande ensinamento na história dos profetas Elias e Jonas. Existe também, uma semelhança notável entre o dois. O primeiro esteve numa caverna, o segundo, numa aboboreira e ambos desejaram o fim de seus ministérios e até de suas próprias vidas. Nos dois casos, Deus vai mostrar algo simples e ao mesmo tempo desafiador para a cura de seus humildes servos. Elias e Jonas vão aprender que pessoas precisam de pessoas! Veja, querido leitor, esse ensino tão válido para os nossos dias e permita que o Santo Espírito fale contigo:

  • A dor e tristeza de Jonas

Os quatro capítulos do livro do profeta Jonas nos mostram uma história que é muito importante para os nossos dias. Embora o quarto capítulo seja menos conhecido, é o ponto chave para este estudo.

Jonas realizou uma grande obra. Uma cidade inteira se converteu de seus maus caminhos. A palavra revelada que Jonas liberou tinha apenas sete palavras. Ainda quarenta dias e Nínive será subvertida. Ele resistiu, à princípio, fugiu e foi parar no ventre do grande peixe. Mas acabou liberando a palavra que mudou a história da grande Nínive. E é aí que começa a dor e tristeza de Jonas.

O profeta monta uma cabana num lugar estratégico par ver se em 40 dias Nínive seria subvertida. A destruição não veio. O arrependimento da cidade mudou a sequência de destruição. Quão poderoso é o arrependimento sincero!

E assim, as emoções de Jonas ficam expostas e ele deseja a morte. Grandemente deprimido, Jonas passa a um estado de grande alegria. Essa mudança repentina ocorre porque uma planta nasce da noite para o dia. Jonas fica embaixo desta aboboreira. O calor é amenizado. Mas, da noite pro dia, a planta morre. Jonas volta a se entristecer amargamente. Deus manda um vento oriental e o forte calor faz Jonas padecer muito, a ponto dele pedir a morte pela segunda vez.

Por que Jonas ficou mal? Porque a aboboreira morreu. Por que Jonas ficou mal? Porque o sol escaldante estava sobre sua cabeça. Mas ele não conseguiu ficar mal pelas pessoas de Nínive. A aboboreira, no coração dele, tinha mais valor que as pessoas de Nínive. Seu bem estar físico tinha muito mais valor do que as 120 mil pessoas de Nínive. Essa é a síndrome de Jonas, onde as coisas tem muito mais valor que as pessoas.

Pessoas precisam de pessoas, Deus estava ensinando isso para Jonas. O profeta não precisava de uma aboboreira. Não precisava de uma sombra sobre sua cabeça. Jonas precisa era se compadecer pelas pessoas que estavam diante dele. Havia uma cidade inteira diante de Jonas e ele chorava por causa de uma planta!

  • A dor e tristeza de Elias

Ao receber a notícia da morte dos 400 profetas e que seu nome era o próximo da lista da macabra Jezabel, Elias experimenta um forte abatimento. Sua caminhada é interrompida. Sua tristeza o leva a desejar a morte. O Senhor manda um anjo que serve um revigorante alimento. Elias, renovado e cheio de força, volta a andar. Não dura muito tempo e sua caminhada é interrompida de novo. Mesmo abatimento e mesma tristeza que o leva a deseja a morte novamente. E o Senhor das renovantes misericórdias envia seu anjo mais uma vez. O profeta recebe o revigorante alimento e volta a andar. Parece um replay mesmo. Já são duas paradas e duas intervenções divinas. É como se agora sim, as coisas vão andar... mas... Elias não apenas pára novamente... ele vai pra o fundo de uma caverna. Realmente ele não estava bem.

Mesmo tendo recebido o revigorante alimento por duas vezes, seu problema continuava martelando. As pessoas que ele tinha ensinado, os profetas que ele tinha levantado, estavam mortos! Quatrocentos homens que Elias tinha sido instrumento do Senhor para serem levantados, estavam mortos.

Na caverna, já era a terceira vez que Elias interrompia sua caminhada. Somos de uma geração onde há muitos obreiros feridos que se esconderam nas profundezas de cavernas da vida. (Querido leitor, recebemos diariamente mensagens de pessoas que foram tocadas numa das mensagens deste blog, Elias na caverna e as provas do vento, terremoto e foto, o que mostra que existem muitos Elias em cavernas nos dias de hoje. Para acessá-la, clique aqui).

O que me surpreende é que quando Elias chega ao ponto de entrar no frio de uma caverna, Deus não manda mais anjos, Ele o visita pessoalmente! Não usa uma voz de repreensão, pelo contrário, Ele faz um convite: "Vem"! Creio que o mesmo Senhor de Elias possa estar chamando pessoas na mesma situação de Elias, dizendo: Vem, saia daí, vem para fora!

Elias sai da caverna e vai para próximo de Deus. O Senhor usa algo incrível para curar seu profeta. Vai tratar a origem do problema. Ele diz:

Unge Hazael rei sobre a Síria
Unge Jeú rei sobre Israel
Unge Eliseu profeta
Também eu fiz ficar 7.000 profetas, todos os joelhos que não se dobraram a Baal.




Pense nisso...


Elias sai da caverna para levantar pessoas, ungir pessoas, e se encontrar com muitas outras pessoas!
Não há registro do que fez Jonas depois de sua tristeza na aboboreira.
A história de Elias teve um recomeço. A de Jonas, parece ter terminado. 
Elias valorizou pessoas. Jonas, valorizou aboboreira.
Que o Espírito Santo nos faça esse alerta para valorizarmos mais as pessoas e cada vez menos as coisas. 


Amém!


Erisvaldo Pinheiro Lima

Mensagem ministrada em Novembro de 2016, no 3º Encontro de Obreiros da Comunidade Evangélica Arca da Aliança.

Postagens mais visitadas deste blog

Elias na caverna e as provas do vento, terremoto e fogo.

A ressurreição de Lázaro: o tempo, o silêncio e a pedra

Quem é você na parábola do bom samaritano?