Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Lombos cingidos e candeias acesas

Jesus orienta que seus discípulos estejam de candeias acesas e os lombos cingidos
Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias. (Lc 12.35)

 
Bp Erisvaldo Pinheiro Lima 
Palavra ministrada em 26/06/2013


Jesus libera uma palavra aos seus discípulos. Uma exclusividade oferecida aos seus seguidores: Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias.

Para entendermos a força desta palavra, vamos voltar um capítulo na narrativa do evangelista Lucas:

  • Contexto

O contexto desta palavra era de um momento conturbado. Jesus estava sendo analisado e provado. Os fariseus acusara o Senhor de pacto com Belzebu, o príncipe dos demônios (Lc 11.15)! Enquanto outro tentava-o, lhe pedindo um sinal. De forma clara e direta, Jesus declara que "maligna é esta geração" (11.29) e cita a diferença dos tempos de Salomão e Jonas, quando a antiga geração buscara de longe a sabedoria do rei e os ninivitas que creram com a pregação do profeta. Enquanto que aquela atual geração estava diante de quem era muito maior que Salomão e Jonas, e mesmo assim não creram.

O contexto fica ainda mais conturbado quando um dos fariseus convida Jesus para um jantar (11.37). Espantados, os fariseus, logo, reparam uma possível falha em Jesus, aquele que se dizia filho de Deus nem se lavara para o jantar! Exagero dos fariseus, eu sei, mas um ato intencional do Senhor para desmarcará-los.

Esta era a deixa para o nosso Mestre liberar dois AIS contra os fariseus: o primeiro, evidencia a vanglória deles pela necessidade de serem notado e valorizado, enquanto o segundo já os identificam como sepulturas.

Os doutores da lei se sentem ofendidos e questionam Jesus: Mestre quando dizes isso também nos afrontam a nós. (11.45) Por isso, Jesus dispara contra os doutores da lei também: O primeiro AI é apontado contra a presunção dos doutores da lei em exigir atitudes do povo que eles mesmos não faziam. Falavam, mas não faziam. Exigiam, mas não davam o exemplo. O segundo AI é ainda mais confrontante, pois coloca nas mãos dos doutores da lei, o sangue derramado dos profetas e apóstolos.

A cena se segue com os fariseus e escribas apertando fortemente a Jesus, tentando fazê-lo de diversas coisas "a fim de apanharem de sua boca alguma coisa para o acusar" (11.54). Fazendo a multidão se aglomerar a tal ponto que Lucas descreve "muitos milhares de pessoas" (12.1) e Jesus faz algo que me surpreende:


  • O discurso de Jesus se volta para seus discípulos


Mesmo afrontado, caluniado e analisado nosso Mestre se vira para seus discípulos e os ensina. Observe o termo "seus discípulos" (12.1) e "amigos meus" (12.4)! Percebe o carinho do Senhor pelos seus seguidores?
Jesus responde a muitos milhares, mas aos seus discípulos ele chama de amigos meus. E são para estes amigos que Jesus libera uma palavra diferenciada.

Veja que Jesus estava no meio de muitos milhares, mas ele se vira para seus discípulos amigos para um ensinamento profundo. Isso me consola muito! Parecem frases simples, mas que me consolam muito. Pois olho para este grupo de doze homens, os discípulos, e vejo nos Evangelhos o quanto eles eram simplesmente normais, humanos e necessitados dos ensinos do Mestre. Há momentos em que nos sentimos tão fracos e limitados, mas Jesus com esta atitude transmite a mensagem de que para este pequeno grupo de discípulos vale a pena falar, que estes sim, escutam os ensinamentos sem se ofenderem. Jesus está respondendo a tantas acusações da multidão liderada pelos fariseus e doutores da lei, mas ele interrompe sua fala e usa seus ensinamentos para seus discípulos. Para seus amigos discípulos algo a mais é ensinado.
Seja hoje um discípulo amigo do Senhor e desfrute desse algo a mais que nos é oferecido!


  • Qualificações dos discípulos

Nesta narrativa do Evangelho de Lucas, vemos um simples diferencial entre a multidão liderada pelos fariseus e doutores da lei e dos simples discípulos. Aqui fica evidenciado a capacidade de ouvir e aprender dos discípulos. Um mero detalhe para muitos, mas um detalhe que os fariseus não tinham. Os fracos e limitados discípulos estavam dispostos a ouvir e aprender. Não se ofendiam, apenas ouviam e aprendiam.

  • Ensino exclusivo

E o ensinamento diferenciado que Jesus oferece apenas aos seus discípulos fica registrado a partir do capítulo 12. Mais que ensinamentos, Jesus ofereceu encorajamento e força através destas palavras. "Não temas", "até os cabelos de vossas cabeças estão todos contados" são algumas destas palavras.

Mas o ensino que mais me chamou atenção foi: "Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas, as vossas candeias" (12.35):

Quero trazer o significado de lombos cingidos e lâmpadas acesas de três mestres descritos abaixo:
  1. Para Di Nelsom (2011), lombos cingidos nos coloca em alerta para estarmos vestidos pronto para guerra! E as candeias acesas aponta para as cincos virgens prudentes (Mt 25.1-13) que não deixaram suas candeias se apagarem. Que por sua vez, aponta para os cinco ministérios descritos em Ef 5.11, apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores. A igreja precisa destes cinco ministérios. A base doutrinária dos apóstolos, a voz de Deus dos profetas, os que levam as boas novas e trazem almas para a igreja como os evangelistas, os pastores guiadores e os doutores que ensinam a palavra. Qual destes ministério você se encaixa, querido leitor?
  2. Harrison (1997) faz alusão às roupas judaicas que eram longas, e por isso, precisavam ser presas (cingidas) ao cinto (lombo) para liberdade de movimento sem causar escândalo. Não deve ser feito assim, querido leitor, a obra que está confiada em nossas mãos? Com liberdade, mas sem escândalos? Sobre as candeias acesas, este autor, explica que as lâmpadas (candeias) eram acesas com brasas vivas, pois na época de Jesus não havia fósforos. Explicação que nos faz lembrar do chamado que o profeta Isaías teve (Is 6), onde brasas vivas foram tiradas do altar para purificar a iniquidade confessa do profeta para responder ao chamado "A quem enviarei?"
  3. E para Dake (1963), lombos cingidos faz referência à convocação para o povo de Israel se cingir para sair do Egito (Êx 12.11). Quando o povo de Deus se alimentou com o cordeiro da primeira Páscoa e se colocavam prontos para sair do Egito. Acho forte isso, pois somos peregrinos desta terra, e devemos ter nossos lombos cingidos para estarmos a qualquer momento saindo desta terra! Este pensamento é complementado com o significado de candeias acesas novamente na parábola das dez virgens, onde o foco era a volta do noivo, vigilância e prontidão.

Queridos, estejamos com os nossos lombos cingidos e com nossas lâmpadas acessas. Uma palavra dada por Jesus aos seus amigos discípulos. 

Que a luz do Senhor Jesus Cristo aqueça vossas lâmpadas e lombos.



Fonte de apoio:
Bíblia Revelada - Novo Testamento - Ômega. Traduzida, comentada e editada por Aldery N. Rocha
Bíblia de estudo Dake - Finis Jennings Dake
Comentário Bíblico Moody - Editado por Everett F. Harrison (Novo Testamento)

Postagens mais visitadas deste blog

Elias na caverna e as provas do vento, terremoto e fogo.

A ressurreição de Lázaro: o tempo, o silêncio e a pedra

Quem é você na parábola do bom samaritano?