Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Batalha Espiritual: O império das trevas

Diferenças entre o Reino da Luz e o império das trevas e suas influências no nosso dia-a-dia

O império das trevas

Há uma realidade espiritual invisível e ativa que atua em nosso meio (2Rs 6.15-17). Isso nos deixa em meio à uma luta espiritual, onde nossa perseverança em oração e o avanço no conhecimento da Palavra do Senhor podem realizar proezas (Dn 11.32). Uma das ações do inimigo é aprisionar pessoas, deixando-as em situações deploráveis (Lc 13.16). Por isso, o Senhor Jesus se manifestou para tirar pessoas das trevas e conduzi-las para sua luz (At 26.18, 1Jo 3.8). Avancemos, pois, em conhecer o inimigo de nossas almas:


  • Império das trevas  

Repare que houve um tempo em que todos os anjos rejubilavam a Deus. Essa descrição da criação feita pelo próprio Deus em resposta a Jó, mostra que durante a criação inicial da terra, todos os anjos cantavam diante da demonstração de seu poder de criação. Essa cena ocorreu antes da queda de Lúcifer e de sua rebelião.

Onde estavas tu quando eu fundava a terra? Faze-me saber, se tens inteligência. Quem lhe pôs as medidas, se tu o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina, quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus rejubilavam? (Jó 38.4-7)

Hal Lindsey, estudioso da palavra, esclarece que há um intervalo entre Gn 1.1 e Gn 1.2. O autor explica que a palavra hebraica "bara", que significa "trazer a existência algo que não existe", somente é empregada em Gn 1.1, se referindo à criação inicial; em Gn 1.21, onde é descrito a criação de todas as criaturas sub-humanas; e em Gn 1.27, onde descreve a criação do homem. As outras palavras empregadas para a criação remetem ao sentido de "restauração".

Assim, em Gn 1.1, Deus cria uma terra perfeita. Em seguida, ocorre algo misterioso e incrivelmente impactante ao ponto de abalar a terra, deixando-a sem forma e vazia. Esse acontecimento teria sido em consequência à rebelião liderada por Lúcifer. Aliás, a expressão hebraica para o termo "sem forma e vazia" é "tohu-wa-bohu", que significa algo que resultou de uma catástrofe. Então, de Gn 1.2 em diante, Deus passa a restaurar a terra para colocar o homem como centro da criação.

Sobre Lúcifer, o líder da rebelião contra Deus, a palavra o descreve como um rei, cuja força influência o príncipe de Tiro que queria assumir uma divindade:

  • Em Ez 28.1-2, um príncipe é apresentado como um homem que elevou tanto o seu coração que se considerou como um deus.
  • Em Ez 28.12, um rei é apresentado como o verdadeiro poder que está por traz daquele príncipe.

Há outros homens na Bíblia que também se consideraram um deus:
  1. Senaqueribe: II Rs 17.33-35
  2. Faraó: Ez 29.3
  3. Nabucodonozor: Dn 3.15; 4.30
  4. Herodes: At 12-21-23
  5. O homem do pecado: II Ts 2.3-4

Percebemos, então, que é Lúcifer quem influencia estes homens a assumirem uma posição de deus na terra. Atentemos para o último da lista, o homem do pecado, pois ele ainda virá. É o anticristo que, sob influência direta de Lúcifer, também assumirá uma divindade na terra.

A beleza, força e perfeição de Lúcifer é detalhada no restante do texto de Ez 28. Veja:
Tu és o aferidor de medidas. Cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estavas no Éden, no jardim de Deus; todas as pedras preciosas o enfeitavam: sárdio, topázio e diamante, berilo, ônix e jaspe, safira, carbúnculo e esmeralda. Seus engastes e guarnições eram feitos de ouro; tudo foi preparado no dia em que você foi criado. Você foi ungido como um querubim guardião, pois para isso eu o determinei. Você estava no monte santo de Deus e caminhava entre as pedras fulgurantes. Você era inculpável em seus caminhos desde o dia em que foi criado até que se achou maldade em você. Ezequiel 28:12-15

Este texto é uma lamentação. O Deus de misericórdia e justiça lamenta a condenação justa de seu principal anjo. Repare nas descrições que o anjo caído recebe nesta lamentação:
  • "aferidor de medidas": mostra que ele era um padrão de perfeição;
  • "cheio de sabedoria e perfeito em formosura": o mais belo e mais sábio entre toda a criação de Deus;
  • "Estavas no Éden..." e no "Monte santo de Deus", mostra o privilégio que tinha ao adentrar em lugares especiais da glória de Deus, e andava em meio às "pedras fulgurantes" (afogueadas), símbolo para indicar a presença purificadora de Deus (veja Is 6.1-6);
  • "Todas as pedras preciosas o enfeitavam": Nove das doze pedras do peitoral do sumo-sacerdote são mencionadas (compare com Êx 28.17-30; 39.10-13; Ap 21.19-20). Isso mostra o plano divino de estabelecer uma criatura com ainda mais relacionamento e intimidade com Deus que Lúcifer teve;
  • "ungido como um querubim guardião": Querubim é um ser angelical de elevada categoria, associado à presença santa gloriosa de Deus. São seres que proclamam a justiça de Deus. "Ungido" mostra o grande favor que Deus o concedeu. Trata-se do mesmo adjetivo usado para o Messias (Cristo: Ungido). A palavra hebraica para "guardião" significa literalmente "quem conduz". Mostrando, então, que era um líder dos seres angelicais, que, consequentemente, os guiavam para o louvor a Deus.

De fato, era o mais grandioso ser que Deus criou, um ser que tinha força, sabedoria, beleza, privilégio e autoridade. Seu nome significa "o brilhante". O versículo 15 diz que ele foi perfeito desde o dia que foi criado. Sim, ele foi criado. Isso mostra que o texto somente pode se referir ao um ser que foi criado por Deus. Os homens foram nascidos. Somente Adão foi criado. Por isso, o texto aponta para Lúcifer, um ser angelical que foi criado por Deus. 

Assim, Lúcifer era perfeito em seus caminhos ATÉ QUE...

Foi encontrado iniquidade no coração dele. Isto marcou o fim de Lúcifer e o início de Satanás. O que ocorreu? Qual foi essa iniquidade? O texto de Is 14.12-20 responde isso:
Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no seu coração: Eu subirei ao céu, e, acima das estrelas de Deus, exaltarei o meu trono, e, no monte da congregação, me assentarei da banda dos lados do Norte. Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. E, contudo, levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão e dirão: É este o varão que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos? Que punha o mundo como um deserto e assolava as suas cidades? Que a seus cativos não deixava ir soltos para a casa deles? Todos os reis das nações, todos eles, jazem com honra, cada um na sua casa. Mas tu és lançado da tua sepultura, como um renovo abominável, como uma veste de mortos atravessados à espada, como os que descem ao covil de pedras, como corpo morto e pisado.


  • Deus, o conhecedor de tudo em todos, identificou a iniquidade no coração de Lúcifer. Repare que suas ações ainda não haviam acontecido, mas Deus sondou o coração do anjo de luz e soube o que lá dentro se dizia: "e tu dizias em teu coração". São cinco verbos, todos no tempo futuro, mostrando que ainda era um plano no coração de Lúcifer:

SUBIREI - EXALTAREI - ASSENTAREI - SUBIREI - SEREI

  • A bela expressão "estrela da manhã" em hebraico é hêlel, que significa "a brilhante" ou "o luzeiro";
  • "Filha da alva" é a mesma locução adjetiva usada em Jó 38.4-7 para descrever os seres angelicais;
  • "É este...?" Expressão de espanto quando Satanás for desmascarado diante de toda terra (Ap 20.2). Veja suas influências:
  1. Fazia estremecer a terra
  2. Fazia tremer os reinos
  3. Punha o mundo como um deserto
  4. Assolava as cidades
  5. Não deixava os cativos ir soltos para a casa deles
Em seguida, temos a justa condenação de Satanás:
  • "És lançado de tua sepultura":
  1. Como um renovo abominável
  2. Como uma veste de morto atravessado à espada
  3. Como os que descem ao covil de pedras
  4. Como corpo morto e pisado


Nomes:
Satanás – significa acusador (Jó 1:6)
Destruidor – hebraico: Abadom, grego: Apoliom (Ap 9:11)
Belzebu – significa rei das moscas (Mt 12:24)
Belial – significa imprestável (2 Co 6:15)
Inimigo – ele nunca está do nosso lado (1 Pe 5:8)
Diabo - significa mau, difamador (Mt 4 e Lc 4)
Lúcifer - significa luzeiro, filho da alva (Is 14.12)

Seus títulos:
Maligno (Jo 5.19)
Tentador (1Ts 3.5)
Príncipe deste mundo (Jo 12.31)
Deus deste século (2Co 4.4)
Príncipe das potestades do ar (Ef 2.2)
Acusador (Ap 12.10).

Suas representações:
Serpente (Ap 12.9)
Dragão (Ap 12.3)
Anjo de luz (2Co 11.14)

Tem personalidade homicida, mentirosa e adversária (Jo 8.44, 1Pe 5.8).

Possui limitações (1Jo 4.4, 5.18, Pv 18.21, Ef 5.19-21, Tg 4.7). Não consegue ler nossa mente (Sl 139). Não pode contra a igreja do Senhor (Ef 6.11, Lc 10.19, Mt 16.18).


  • Satanás

Significa “aquele que resiste, que se opõe, que ataca”. Sua ação é pouco mencionada no Velho testamento. E em alguns casos, sua ação era ordenada pelo próprio Deus. Veja estes versículos:

E sucedia que, quando o espírito mau da parte de Deus vinha sobre Saul, Davi tomava a harpa, e a tocava com a sua mão; então Saul sentia alívio, e se achava melhor, e o espírito mal se retirava dele. 1Sm 16.23

Então Satanás se levantou contra Israel, e incitou Davi a numerar a Israel.


E ele mostrou-me o sumo sacerdote Josué, o qual estava diante do anjo do SENHOR, e Satanás estava à sua mão direita, para se lhe opor.
Mas o Senhor disse a Satanás: O Senhor te repreenda, ó Satanás, sim, o Senhor, que escolheu Jerusalém, te repreenda; não é este um tição tirado do fogo?
Josué, vestido de vestes sujas, estava diante do anjo.
Então respondeu, aos que estavam diante dele, dizendo: Tirai-lhe estas vestes sujas. E a Josué disse: Eis que tenho feito com que passe de ti a tua iniquidade, e te vestirei de vestes finas.


E disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo quanto ele tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor.


Repare que nos casos de Jó e Saul, a ação de satanás vinha das ordenanças de Deus. Já nos casos de Davi e Josué, satanás aparece em cena influenciando e se opondo contra os líderes de Israel.

Ainda assim, a mais que esses trechos acima, pouco é mencionado da ação de satanás no Velho Testamento.



  • Diabo

Significa “mau, difamador”.

No Velho Testamento não aparece a palavra diabo. O significado do seu nome parece um pouco mais forte que o significado de satanás. Nisto está a diferença entre satanás e diabo. Esse conceito de ‘mal’ somente é revelado no Novo Testamento. Jesus Cristo revelou claramente a verdadeira identidade de satanás, como fonte e origem do mal na terra. Cristo faz essa diferenciação na tentação (Mt 4 e Lc 4). Nestes trechos, Cristo deixa claro que o mal provinha do diabo e que deveria ser combatido pela Palavra. Lembre-se que o Senhor Jesus ensinou aos discípulos a orarem pedindo ‘livra-nos do mal’. Esse tipo de ensino e conceito ainda não havia no Velho Testamento. Inclusive quando Cristo enviou seus discípulos para a obra, Ele promete dar poder para que nenhum mal não cause dano algum (Lc10.19).


  • Equilíbrio bíblico

O segredo para o sucesso na batalha espiritual é encontrar o equilíbrio bíblico. A luta contra o pecado é dentro de si mesmo (Rm 6), e contra o diabo (Ef 6.10-18). Precisamos encontrar esse equilíbrio para não darmos ‘ibope’ ao diabo, e muito menos sermos negligentes com suas ações opositoras contra o povo de Deus.

Veja que em Lc 4, logo após a tentação no deserto, O Senhor Jesus operou dois milagres. Ele curou um endemoniado em Cafarnaum, que inclusive estava dentro da sinagoga, e curou a sogra de Pedro. Repare que o mal na vida do primeiro homem era oriundo da ação do diabo, mas a enfermidade da sogra de Pedro é chamada apenas de febre, sem nenhuma alusão à ação do diabo. Essa diferenciação é importante. Há enfermidades oriundas de ações malignas. E também há enfermidades oriundas de causas simples e naturais. Que o Espírito nos ensine a sermos equilibrados, não negligentes e não alarmistas.


Deus nos abençoe nessas batalhas diárias!


Bp Erisvaldo Pinheiro Lima
Estudo ministrado na Escola de Profetas em Outubro de 2016 (reeditado em Agosto de 2017)
Comunidade Evangélica Arca da Aliança


Fonte de estudos:

Hal Lindsey, SATANÁS ESTÁ VIVO E ATIVO NO PLANETA TERRA - UMA ANÁLISE PROFUNDA DA AÇÃO DO PRÍNCIPE DAS TREVAS NESTE MUNDO. Editora Mundo Cristão. 

COMENTÁRIO BÍBLICO MOODY. Editado por Charles P Pfeiffer e Everett F Harrison. Editora Batista Regular do Brasil

Robson Rodovalho - Batalha Espiritual - Editora: Sara Brasil

Postagens mais visitadas deste blog

Elias na caverna e as provas do vento, terremoto e fogo.

A ressurreição de Lázaro: o tempo, o silêncio e a pedra

Quem é você na parábola do bom samaritano?